TwitterYou Tube Facebook
Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Versão para impressão


Artigos

25/02/2016
REFORMA

Previdência Social para os trabalhadores

 

A atual discussão sobre a proposta de reforma na Previdência Social traz consigo muitas razões para dizermos “não” às mudanças propostas, pois estas põem em xeque a capacidade inclusiva da mais abrangente política social brasileira. Preocupa-nos ouvir o Governo Federal enfatizar que deve efetivar aquilo que a classe trabalhadora rejeita frontalmente e o que consideramos nocivo a ela. São propostas desenhadas por pressões do mercado. Vamos às ruas rechaçar o que se apresenta.

 

Há uma tendência ao prejuízo em maior grau para os de mais baixo poder aquisitivo e os que convivem com as piores condições de trabalho. Para os que ingressaram na vida profissional antes mesmo de chegar à fase adulta – na imensa maioria das vezes, por necessidade. Falamos em “prejuízo”, porque a medida deve retroceder conquistas históricas e trazer, por exemplo, o aumento da idade para a aposentadoria ou a equiparação entre homens e mulheres do tempo de vida mínimo exigido para obter o benefício.

 

Durante o segundo mandato do Governo Lula, o tema foi discussão central no Fórum Nacional da Previdência. De forma aprofundada, debatemos e propusemos melhorar a Previdência, respeitando sua sustentação a longo prazo. Essa política é defendida pelos brasileiros em ampla maioria, segundo atestou recente pesquisa Vox Brasil encomendada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT): 88% dos entrevistados se manifestaram contra mudanças que reduzam o valor de aposentadorias e pensões ou que dificultem o acesso aos benefícios.

 

A própria Associação Nacional dos Auditores Fiscais (Anfip), na figura de seu vice-presidente de Seguridade Social, Décio Bruno Lopes, aponta como “desnecessária” a reforma na Previdência Social, caso o objetivo seja o de financiamento do sistema. Outros setores progressistas da sociedade, nos quais a CUT se inclui, consideram intocável o acesso à Previdência. Mais uma vez, esse direito é atacado por forças que tentam, a todo custo, escancarar as portas da privatização, diminuindo o papel do Estado.

 

Wil Pereira

presidencia@cutceara.org.br

Presidente da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE)

 

(*) Artigo publicado originalmente na edição desta sexta-feira (5.2.2016), do Jornal O POVO

Fonte: Wil Pereira - presidente da CUT-CE
Link: http://cutceara.org.br/ponto-de-vista/artigos/167/artigo-previdencia-social-para-os-trabalhadores
Última atualização: 25/02/2016 às 10:04:47
 

Notícias Relacionadas

11/02/2020    Assembleia Geral Extraordinária: Reforma Estatutária
18/10/2019    Reforma Tributária: Cesta básica pode ficar mais cara e prejudicar mais pobres
05/11/2018    Centrais vão intensificar luta contra reforma da Previdência de Bolsonaro
04/07/2018    Demissão sem homologação no sindicato é nula, decide TST
27/06/2018    Após seis meses da reforma trabalhista, não há recuperação no emprego e trabalho intermitente cresce
 
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Comente esta notícia

Nome:
Nome é necessário.
E-mail:
E-mail é necessário.E-mail inválido.
Comentário:
Comentário é necessário.Máximo de 500 caracteres.
código captcha
Código necessário.

Comentários

Seja o primeiro a comentar.
Basta preencher o formulário acima.

   (85)  3455-7100 falecom@sindcomerciarios.org.br
  Copyright © 1933-2020 - Todos os direitos reservados www.igenio.com.br