Cepa JN.1 do Coronavírus: Origem, precauções e vacina

397

A cepa JN.1 do coronavírus, descendente da BA.2.86, está se espalhando rapidamente nos EUA, Europa e Ásia, causando preocupação também no Brasil. O aumento de casos da nova sub variante no Brasil fez com que o Ministério da Saúde recomendasse que as pessoas com mais de 60 anos e as imunossuprimidas tomem uma nova dose de reforço da vacina bivalente, aumentando a sua imunidade contra a Covid-19.

A sub variante JN.1 foi descoberta em novembro, quando os casos de Covid-19 aumentaram no Ceará, especialmente em Fortaleza. Testes genéticos mostram que 80% das amostras do vírus no estado são dessa nova variante.

O que é a JN.1:
A JN.1 é uma versão do coronavírus relacionada à variante BA.2.86, também conhecida como Pirola. Essa nova variante tem uma mudança extra em uma parte chamada proteína spike, que o vírus usa para se prender às células humanas. Algumas evidências sugerem que a Pirola pode ser mais fácil de se espalhar do que as versões antigas do vírus.

Sintomas:
Até agora, não parece que a JN.1 cause sintomas diferentes das outras variantes ou leve a casos graves. Um relatório dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) diz que os sintomas podem incluir: febre ou calafrios, tosse, falta de ar ou dificuldade em respirar, fadiga, dores musculares ou no corpo, dor de cabeça, nova perda de paladar ou olfato, dor de garganta, congestão ou coriza, náusea ou vômito, e diarreia. Esses são os sintomas associados e é importante ficar atento a qualquer sinal e, se necessário, procurar orientação médica.

O uso de máscara ainda é recomendado nas unidades de saúde para pacientes sintomáticos, idosos e pessoas com comorbidades.

Quem pode se vacinar contra a Covid-19:
1ª dose: crianças a partir de 6 meses.
2ª dose: conferir no cartão de vacinação o prazo definido para sua aplicação.
3ª dose: crianças a partir de 6 meses, crianças de 3 e 4 anos que receberam CoronaVac no esquema primário e pessoas acima de 12 anos que receberam a segunda dose há quatro meses.
4ª dose: pessoas acima de 18 anos que receberam a terceira dose há quatro meses.
Bivalente: população maior de 18 anos que tenha sido vacinada com a primeira e a segunda dose contra a covid-19.

Documentos necessários:
Adultos e adolescentes: documentos originais de identidade (com foto), CPF, Cartão Nacional de Saúde (CNS) e comprovante de residência atualizado. No caso de segunda dose, levar também o cartão de vacinação. Os adolescentes que não possuem RG poderão levar a certidão de nascimento junto a um documento com foto, que pode ser o bilhete único ou a carteira estudantil.
Imunossuprimidos: devem levar a documentação que comprove a imunossupressão.
Crianças: apresentar o número do Cartão Nacional de Saúde (CNS) e documento oficial de identificação da criança, que pode ser a certidão de nascimento, carteira de identidade ou passaporte. Também será necessário apresentar comprovante de residência atualizado e um documento original com foto do responsável pela criança no momento da aplicação.

Vacinas contra a Covid-19 disponíveis em Fortaleza:
D1, D2 e D3 Pfizer baby (6 meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias)
D2 e D3 Pfizer pediátrica
D2 Pfizer adulto
D2 Coronavac
D3 e D4 (serão realizados com o imunobiológico disponível)
BIVALENTE

Com informações do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde do Ceará (Sesa).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here