Tá na pauta: Crescente violência contra a mulher e a importância da denúncia

240

Na última semana, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou no site oficial que, entre janeiro a outubro deste ano, aproximadamente 378 homens foram detidos no Ceará por não cumprirem as medidas protetivas. Esse número representa um aumento de 62,2% em comparação ao mesmo período de 2022, quando foram registrados 233 casos de desobediência a ordens judiciais.

Esses dados evidenciam que muitas mulheres estão denunciando os seus agressores e utilizando de instrumentos importantes para a realização da mesma. No Ceará, as mulheres que enfrentam situações de violência doméstica e familiar têm a opção de solicitar medidas protetivas de urgência pela internet, sem a necessidade de sair de casa através do site: mulher.policiacivil.ce.gov.br.

Dados de violência
De acordo com dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontam que, no primeiro semestre de 2023, em todo o País, os feminicídios tiveram crescimento de 2,6% quando comparado com o mesmo período do ano anterior. Segundo o Fórum, o assédio sexual, seja no ambiente de trabalho ou no transporte público, atingiu recordes inimagináveis.

Somente em 2022, no Ceará, 19.407 mulheres foram vítimas de crimes previstos pela Lei Maria da Penha, conforme estatísticas da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp/SSPDS/CE).

Em números, o Fórum e o Datafolha expuseram que 33,4% das mulheres brasileiras com 16 anos ou mais experimentou violência física ou sexual provocada por parceiro íntimo ao longo da vida. 24,5% afirmaram ter sofrido agressões físicas como tapa, batida e chute, e 21,1% foram forçadas a manter relações sexuais contra sua vontade.

Faça a denúncia pelo site:
Acesse: mulher.policiacivil.ce.gov.br.
Siga os passos:
– Faça login no sistema utilizando seu número de CPF e a senha da conta do gov.br.
– Preencha o formulário eletrônico disponível, fornecendo informações detalhadas sobre a violência relatada.
Após a conclusão do preenchimento, a Polícia Civil recebe as informações e encaminha os dados ao Poder Judiciário, que analisará o pedido das medidas. Desde a implementação dessa nova ferramenta em agosto deste ano, já foram atendidas 188 solicitações.

Ainda que não se possa hierarquizar os traumas provocados pelas diferentes modalidades de violência, como psicológica e patrimonial, o fato é que estamos diante de um crescimento agudo de formas graves de violência física, que podem resultar em morte.

Não se cale! Denuncie!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here